Nesta semana, mais precisamente no dia 2 de maio, comemorou-se o Dia Mundial da asma.

É a doença pulmonar crônica mais comum, com milhões de portadores no Brasil, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), há cerca de 235 milhões de pessoas no mundo. A doença, também conhecida como “bronquite asmática” ou como “bronquite alérgica”.

A asma brônquica é uma doença caracterizada por inflamação difusa das vias respiratórias, desencadeada por diversos estímulos repentinos, que resultam em broncoconstrição parcial ou completamente reversível.

Pode-se dizer que existem vários tipos de asma, sendo a mais comum a alérgica a pó, poeira, mofo, pelos de animais, produtos químicos de limpeza ou beleza, entre outros. A alergia respiratória é hereditária, ou seja, crianças com asma alérgica quase sempre tem pais, avós, irmãos ou familiares com asma ou rinite alérgica.

Os sinais e sintomas mais comuns são: falta de ar, chiado, aperto, dor ou pressão no peito, dificuldade respiratória, sibilos.

Efetua-se o diagnóstico com base na história, no exame físico e nos testes de função pulmonar.

Mitos e verdades sobre a asma

Mitos e verdades sobre a asma

A asma é mais comum em meninos
VERDADE: Até os 10 anos de idade, crianças do sexo masculino têm mais chances de serem diagnosticadas com asmapor terem vias aéreas mais estreitas.

A “bombinha” de asma vicia
MITO: As populares “bombinhas” são os medicamentos para a asma na forma inalatória oral. São consideradas a forma mais adequada para o tratamento. mas é importante frisar que, como todo medicamento, seu uso deve seguir sempre as orientações médicas, de forma correta, evitando excessos e abusos.

A “bombinha” faz mal para o coração
MITO: Asma em adultos pode estar relacionada à insônia – Verdade.

A asma é contagiosa
MITO: A asma aparece como consequência da interação de diversos fatores, principalmente genético e alérgico, mas não é contagiosa. Conviver com pacientes asmáticos não faz com que outra pessoa “pegue” a doença.

Asmáticos podem praticar esportes
VERDADE: A prática esportiva é importante para o condicionamento físico e muitos exercícios contribuem diretamente para melhorar a resistência pulmonar. Ainda assim, é importante ter o acompanhamento médico para verificar se determinada prática é adequada ao tratamento, para evitar episódios de crise durante a prática de exercício.

Asmáticos não podem conviver com animais de estimação
MITO: As pessoas asmáticas podem conviver com animais, observando também se esses pets não desencadeiam um processo alérgico. A higienização é fundamental: banhos periódicos e os locais sempre limpos e arrumados. É importante também evitar os animais no quarto da pessoa com asma, evitando pelos, peles descamadas, sujeira.

Cigarro faz mal para o asmático
VERDADE: Se o tabagismo já faz mal para as pessoas que não tem a doença, os asmáticos sofrem mais ainda. A fumaça é um potente irritante das vias aéreas. O cigarro pode não ter um efeito nocivo imediato, mas é ainda mais amplificado entre as pessoas com asma ao longo do tempo.

A asma desaparece sozinha
MITO: A asma não desaparece. A gravidade da doença varia de pessoa para pessoa, sendo mais intensa ou não, os sintomas podem diminuir ou até passar por um período de remissão.

A asma tem cura
MITO: O tratamento ajuda a controlar os sintomas e amenizar os momentos de crise, para dar maior qualidade de vida e bem-estar ao paciente, mas não existe cura para a asma.

Existe relação entre asma, rinite alérgica e dermatite
MITO: É muito comum quem tem asma também ter rinite alérgica e dermatite, chegando a 40% dos pacientes, segundo estudos clínicos da organização ARIA (Allergic Rhinitis and its Impact on Asthma). Ainda revelam que ambas podem ser sintomas de uma única doença no sistema respiratório, e enfatiza-se a importância de tratar a rinite alérgica em pacientes com asma, pois pode agravar a doença.

Muitas outras dúvidas sobre a asma podem ser recorrentes. Por isso, somente com o atendimento médico pode te passar orientações e sanar suas dúvidas sobre a doença, passando qual o tratamento correto.

Texto de Maria Eugênia – Assistente de Coordenação da Escola de Enfermagem ABC “Myrthes Silva”

Referências:


https://www.msdmanuals.com/pt-br/profissional/dist%C3%BArbios-pulmonares/asma-e-doen%C3%A7as-relacionadas/asma

https://www.who.int/eportuguese/countries/bra

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/asma/#:~:text=asma%20%C3%A9%20o%20estreitamento%20dos%20br%C3%B4nquios%20(canais%20que%20levam%20ar,

https://www.google.com/search?q=asma&rls=com.microsoft:pt-BR:%7Breferrer:source%3F%7D&sxsrf=ALeKk017tPtRw44_GJXj0anHmXB_b4t-JA:1620241074146&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwiO4rKtnLPwAhUWEbkGHRneCgwQ_AUoAXoECAEQAw&biw=1024&bih=526