O QUE SÃO VÍRUS?

Os vírus são micro-organismos bem menores que as bactérias e não possuem célula. São basicamente compostos por uma camada de proteína que envolve seu material genético (DNA ou RNA). Existem milhares de famílias de vírus, cada um com sua particularidade. Mas o que todos têm em comum, é o fato de que precisam de uma célula (animal ou humana) para se multiplicarem.

O NOVO CORONAVÍRUS

A Covid-19 é uma doença respiratória aguda grave causada pelo vírus SARS-COV-2. Essa doença começou na China, no fim de 2019 e se espalhou por todo o mundo. Suspeita-se que este vírus tenha infectado células humanas a partir da ingestão de animais contaminados, porém, ainda não existe nenhum estudo que comprove de fato essa suspeita.

Os vírus do grupo SARS-COV foram identificados pela primeira vez em 2002, também na China. Como a Covid-19 é provocada pelo vírus SARS-COV-2 (ou novo coronavírus), devemos saber que é então, uma nova variante dos vírus do grupo SARS. Sendo assim, a atual pandemia é causada por uma mutação do vírus SARS-COV.

É importante saber que as mutações destes vírus não pararam por aí. No fim de 2020 e no início de 2021, os canais de comunicação do mundo inteiro informaram que o novo coronavírus (SARS-COV-2) continua sofrendo mutações em seu material genético.

O QUE SÃO MUTAÇÕES VIRAIS?

As mutações são processos naturais que ocorrem em alguns tipos de vírus quando estes não conseguem infectar uma célula. Dessa forma, eles se adaptam, modificam algumas sequências do seu material genético, se tornam mais fortes e mais resistentes, se moldam, e conseguem penetrar a célula, causando então, a infecção.

Diante disso, precisamos ficar atentos às novas variantes do novo coronavírus, que são muito mais transmissíveis, muito mais infectantes e muito mais letais do que os vírus encontrados no início da pandemia.

Este fato é preocupante, uma vez que as novas variantes do Sars-Cov-2 podem tornar as vacinas já produzidas ineficazes ao controle da Covid-19. O centro de contingência da Covid-19 no Brasil informou que até o presente momento (março/2021), as vacinas disponíveis continuam sendo eficazes contra o avanço da doença no país. Porém, se a população não continuar usando máscaras, não praticar o isolamento e nem distanciamento social, outras variantes mais fortes irão surgir, o que pode fazer com que as vacinas já disponíveis não funcionem mais.             Portanto, mesmo se já estiver vacinado, continue usando máscara, continue higienizando as mãos e os objetos com álcool 70%, e pratique o distanciamento social. Somente dessa forma vamos diminuir as mutações do novo coronavírus e garantiremos a saúde e proteção de todos.

Beatriz Boniol – Biomédica e especialista em fisiologia humana.

Professora de microbiologia na Escola de Enfermagem ABC Myrthes Silva.